A física quântica e o veganismo

13/10/2017

O que esse ramo teórico da ciência tem a falar sobre a nossa relação direta com os alimentos

Em 1900, o Lord Kelvin definiu a física como um grande céu azul, com exceções de algumas nuvens paradas no céu. Essas nuvens eram o que ainda não sabíamos sobre a física. Mas logo no ano seguinte, no primeiro ano do século XX, Max Planck descobriu a constante de Planck, descortinando assim todo o universo quântico.

Esse universo quântico é a parte mais complexa da física. Isso porque ele estuda o universo microscópico que era o final do estudo dos prótons, nêutrons e elétrons da física de Newton, passando assim para escala menor, estudando: quark, glúon, fóton, gráviton e então, finalmente: bóson de higgs, caracterizada por ser a menor partícula do universo, apelidada de partícula de Deus. O bóson de higgs foi descoberto em 2012 em Genebra no maior acelerador de partículas construído no mundo e foi um marco na percepção e revolução da física antiga para a física moderna: a física quântica.  

Mas, afinal de contas, o que na física quântica remete ao veganismo?

É justamente essa minúscula partícula que sustenta o pensamento sobre memória celular e a ligação de todos os seres vivos, logo, a conexão com o universo seria pautado pela construção com todos os seres vivos, não excluindo ninguém.

Segundo Oberom, formado em educação física, pós-graduado em nutrição humana e saúde, professor de ioga, e escritor de dois livros sobre o tema, e que também apresenta palestras e workshops sobre veganismo, ioga e espiritualidade, tudo está correlacionado e, se quisermos ter uma vida equilibrada, temos que levar em consideração o respeito pela vida de todos os seres.


Essa ideia de respeito para com todos os seres é o príncipio mais antigo do mundo. Há mais de 3 mil anos o ioga defende o conceito ahimsa, que é um princípio ético-religioso que foi adotado inicialmente pelo jainismo e posteriormente pelo hinduísmo e budismo, que consiste na rejeição constante da violência e no respeito absoluto a toda forma de vida.

A cura do planeta está no veganismo. Ao nos alimentarmos de carne, ingerimos a tristeza do animal, o medo, o sofrimento, que fica gravado em sua memória celular, o que causa um impacto diretamente na introdução de material com carga negativa dentro do ser humano"

                        Oberom

Confira:

Imagens:Thiago Figueredo