Fábio Chaves e Nina Rosa: duas abordagens para a mesma causa

13/10/2017

Fábio enfrenta a linha de frente midiática no infoativismo, nas pautas do dia a dia; já Nina trabalha o campo educativo com o intuito de mudar educando e preparando futuros ativistas 

Desde que a internet surgiu tem sido palco para abordar diversos assuntos. Uma plataforma que conecta milhões de pessoas ao redor do mundo e que faz da rede um meio para divulgar interesses e colher informações.

O infoativismo (ativismo digital ou ciberativismo) vem ganhando cada vez mais espaço nessa nova era. Pessoas que são engajadas em alguma causa social aproveitam toda a audiência da internet para ganhar voz e conquistar novos adeptos.

Fábio Chaves é fundador e infoativista do Vista-se, o maior portal vegano do Brasil e segundo mais acessado do mundo. Seu site começou em 2007 com produção de conteúdo vegetariano e hoje o número de acessos chega a meio milhão por mês. Segundo ele, a maioria não é de vegetariano. "Todo mundo produz conteúdo, mesmo que não tenham Facebook, nem outra rede, ao menos WhatsApp, já dá pra fazer, então todo mundo produz e tem potencial infoativista."

Imagens: Thiago Figueredo

Chaves acrescenta que é preciso ter papel de referência, quando pensado em um assunto específico se não puder ser o primeiro tem que ser o melhor, ter a melhor cobertura possível quando entrar no site.

 "Todo mundo produz conteúdo. Com  WhatsApp já dá pra fazer, então todo mundo produz e tem potencial infoativista" 

Fábio Chaves

Foto: Jayro Lemos

Nina Rosa: material educativo sobre a causa animal

Nina Rosa Jacob é ativista pela defesa dos animais e fundadora do Instituto Nina Rosa. Ela pratica o infoatismo, dedica-se à produção de material educativo, cursos e palestras, tem um canal no Youtube com 8,5 mil inscritos e seu instituto produziu o documentário "A carne é Fraca",  considerado o melhor já realizado no Brasil sobre o consumo de carne.

Foto: Jayro Lemos 

Mesmo que pareça que ninguém está ouvindo, que ninguém se importa, a gente está no meio das pessoas, todo mundo tem um coração que bate lá dentro. Os que mais se manifestam contra nossas ações, são os que mais estão sendo tocados, então acho que a gente tem que continuar"    

Nina Rosa

Hoje, Nina tem um projeto de educação humanitária, que defende a educação e a coragem de fazer o bem. Tem por finalidade ensinar crianças e jovens a desenvolver o pensamento crítico, baseado na sensibilização e informação e despertar a ética, solidariedade, respeito e compaixão.

Como tudo começou?

Nina foi idealizadora do projeto "A Carne é Fraca", em 2004. O documentário de 54 minutos, dirigido por Denise Gonçalves e com edição de João Landi Guimarães, causou impacto e mudança positiva na alimentação de milhares de pessoas. Hoje, 13 anos após o lançamento, ainda é um dos documentários mais assistidos na transição para o vegetarianismo e veganismo. 

Para adquirir o documentário basta entrar em contato com o Instituto Nina Rosa pelo email: kosmouzik@gmail.com

Imagens: Instituto Nina Rosa

Acompanhe a seguir, um pouco mais sobre o projeto:

Imagens: Thiago Figueredo


Ativismo no Facebook

Erika Lopes é ativista de rua e webativista e já participou da maior ação em Belo Horizonte contra a vaquejada. Ela foi entrevistada recentemente pelo Viva Vegan, e você pode acompanhar essa entrevista aqui. Ela tem uma página na rede social para denunciar maus-tratos de animais e defender o estilo de vida vegano, livre de exploração animal. Esse movimento na web mostra o que sempre existiu no mundo, grupos que se unem por interesses e ideologias, mas que agora nesse novo formato têm o poder de disseminar uma informação em tempo recorde.