Quem somos












Neila Crespo 

Jornalista, editora e diagramadora

Me apaixonei pelos dois contextos que regem a escolha deste site desde muito criança: são eles, o jornalismo pelo amor à leitura e escrita, e o amor pelos animais. Fui uma criança que não teve paciência para esperar a idade de ir para a escolinha, obrigando minha mãe a me ensinar os primeiros passos da escrita em casa. Ao mesmo tempo que, com o coração de criança, amava loucamente todos animais, cresci cercada por cachorros e gatos e questionava sobre matar animais para viver ao ver animais inteiros pendurados nas câmaras  frigoríficas do açougue de um tio. Eu sempre causei muito transtorno para minha mãe na alimentação, ela, sem informação e totalmente inserida nos paradigmas sobre proteína animal que regem a sociedade, achava que precisávamos de carne para sobreviver não aceitando quando dizia não querer me alimentar de carne. 

A minha transição para o vegetarianismo com empoderamento pessoal começou há seis anos. Com a perda de minha mãe, entrei em um processo de autoconhecimento, meditação e cura interior. No entanto, o fator familiar de reuniões me fez, por vezes, no começo ceder a questionamentos. Há quatro anos eliminei totalmente a carne de minha vida, há 2,5 anos  leite e ovos e, neste ano, contagiei-me pelo veganismo, eliminando tudo que venha da exploração animal, do meu corpo, do meu armário e da minha casa. 

Meu sonho é que todos pudessem sentir a conexão com os animais que foi tirada pouco a pouco de nós, deixando-nos insensíveis a barbaridade que os animais passam nos laboratórios, criadouros e frigoríficos para que proteínas que não precisamos e produtos dispensáveis cheguem a nós. 

Eu não posso terminar esse texto sem contar que minhas maiores motivações para essa luta ativista me olham nos olhos todo dia quando eu chego em casa: Nino, Bebê e Princesa e são a razão por eu acreditar nessa conexão, porque eu sei que eles me dizem com os olhos: "Lute pelos animais, mamãe".

Esses últimos quatro anos têm sido os melhores de minha vida. E eu sonho trazer todo mundo que amo e admiro para esse lado, o lado do amor e do respeito a toda forma de vida. Eu sonho um mundo de co-existência, onde todos possam viver. Você, pode me ajudar nessa jornada? Porque juntos, somos mais fortes.













Vânia de Assis

Jornalista e produtora 

Me formo como jornalista neste ano de 2017, um sonho no qual estou muito feliz em estar realizando. O jornalista é aquela pessoa que traduz o mundo para as pessoas e sinto o maior prazer em poder conciliar o jornalismo com esta causa nobre que é o veganismo.

Ainda não sou vegana, mas é um projeto, estou na fase de transição para o vegetarianismo, o que não é fácil, mudar hábitos de uma vida inteira e que a sociedade coloca como correto. Este processo tem me transformado muito, estou numa fase em que estou me espiritualizando (independentemente de religião), me autoconhecendo, quebrando paradigmas e buscando uma melhor versão de mim mesma e o vegetarianismo/veganismo engloba essas questões, ou seja, implica em mudanças positivas para o meio ambiente, para a saúde e para os animais. Venho me sentindo cada vez melhor e nesse processo cada dia descubro algo novo e que me motiva a seguir em frente. Percebo que estamos todos conectados e que os animais, assim como nós, têm o direito de viverem de forma natural.

Minha paixão pelos animais vem desde a infância, já tive um pintinho de estimação que criei com muito carinho, ficou enorme e que depois tiraram de mim para matá-lo. Já peguei sarna de gato, pois ficava com eles no colo, subia em mesa e em cadeira para poder pegá-los e isso com apenas três anos de idade. Sem contar os cachorros que trato como filhos.

Ao me questionar o porquê que amamos uns animais e comemos os outros é que mergulhei nesse universo, neste projeto, no qual amei participar e que pretendo dar segmento, mostrando para as pessoas que é possível se alimentar sem contribuir para a indústria da carne e que a mudança que nós queremos ver no mundo começa por nós mesmos.

É nessa energia que a minha vida rege. Amo ler, amo estar em contato com a natureza, conhecer pessoas e acredito que podemos fazer um mundo melhor a partir do momento em que descobrimos a divindade e o amor em tudo que nos cerca.














Thiago Figueredo

Jornalista e videojornalista 

Eu sou o Thiago, tenho 31 anos e esse é o número exato que representa a data em que parei de consumir produtos de origem animal (31/09/2017). Ainda não me considero vegano, mas estou na transição, apesar de não ter mais consumido nada, que eu saiba, mas a leitura dos rótulos já se instalaram na minha rotina. Emocionalmente é um sofrimento muito grande ao despertar, mas a gente se sente muito bem não contribuindo para a indústria da exploração animal. Sem contar que perdi oito quilos em um mês e estou me sentindo com muita energia. Sou músico e compositor também. É uma das coisas que mais amo fazer da vida além de praticar meu esporte favorito, que é o skateboard. Também sou apaixonado por fotografia e nem preciso dizer que AMO TODOS os animais, né? rs 


O site Viva Vegan foi um trabalho acadêmico de conclusão do curso de Jornalismo das Faculdades Integradas de Jaú (FIJ), desenvolvido durante o ano de 2017, sob orientação da professora mestre Bianca Giordana Zaniratto.